Curiosidades e costumes da cultura do Japão

Posted on

Antes de ir para o Japão, país com uma das culturas mais antigas do mundo, é preciso entender algumas tradições e costumes.

O Japão é um país fantástico, é um país que consegue conciliar a cultura milenar com as tecnologias de ponta, como os automóveis japoneses. O Japão

é um país insular localizado ao leste da Ásia, é um dos países mais visitais por turistas de todo o mundo. Sua população é no geral muito educada, a segurança do pais também é muito boa e a gastronomia deliciosa também, existem parques e templos que são de deslumbrar os olhos. 

O Japão é um país muito inovador porem ao mesmo tempo tem povos muitos conservadores, que construíram uma historia durante milênios de anos, por isso la tem muitas coisas raras que não costumam ter em outros países. 

Quando você chega no Japão você precisa saber como referir- se a uma pessoa, la esse se importam muito como você usa as formas de tratamento, pois os japoneses dão grande importância ao processamento de sufixos e acham desagradável que os estrangeiros não procurem entender a cultura local antes de se apresentarem a alguém. .

No Japão, cada situação tem uma maneira de lidar, que difere de acordo com a ocasião e o nível da pessoa principalmente.

Por exemplo, os japoneses adicionam sufixos a seus sobrenomes, e os sufixos variam de acordo com o status social, relacionamento e idade da pessoa.

Exemplos:

Kun: Usado apenas para homens e meninos, mas sempre entre amigos. Também é usado por superiores para chamar subordinados.

Chen: Usado para crianças e mulheres para expressar afeto familiar e confiança. Este é um tratamento mais íntimo.

San: Como o “senhor ou senhora” que usamos aqui, significa seguir

Alguém oficialmente. É usado principalmente para trabalho e escola.

Sama: Use o sufixo quando a situação for muito formal, alguém for muito importante ou quando você respeitar muito essa pessoa. Também é usado para membros do governo, reis, rainhas e famílias reais e até mesmo para deuses.

Senpai: O sufixo é usado para denotar pessoas mais velhas e experientes. Os jovens estudantes costumam usá-lo para mostrar respeito pelos veteranos.

Sensei: um sufixo geralmente usado para professores, mestres e mentores.

Agora é interessante você saber de algumas tradições importantes : 

1. Os japoneses ensinam seus filhos a fazer limpeza desde pequenos. Na escola, as crianças são responsáveis ​​pela limpeza da sala de aula. Eles têm um tempo fixo de 15 a 30 minutos todos os dias para limpar as salas de aula e até os banheiros.

2. Se uma pessoa deseja comprar, por exemplo, um sedã Toyota Yaris para 2021, ela deve

Indica que você tem garagem em sua casa. Surpreendentemente, o país da marca

A Toyota tem a menor proporção de proprietários de automóveis. Por exemplo, a empresa paga funcionários em transporte público e os proíbe de dirigir para o trabalho.

3. É proibido fumar na rua, apenas em locais específicos para fumantes, há

cinzeiro. Por exemplo, em Tóquio, é proibido fumar na rua, mas é permitido fumar na rua.

Bares, e apenas em locais de fumantes.

4. Muitos japoneses cochilam durante o expediente para evitar problemas de saúde. “Morte por excesso de trabalho” é a morte por excesso de trabalho, o que é muito comum no Japão. Portanto, o cochilo é muito considerado no Japão, e esse comportamento é chamado de “inemuri”, que é o comportamento de dormir em qualquer lugar devido à fadiga.

Comportamentos a evitar no Japão

1. Evite derrubar

Na América Latina, principalmente no Brasil, o conceito de “dicas” é muito comum. É considerado um ato de gratidão na forma de uma pequena compensação financeira às pessoas que fizeram um bom trabalho. No entanto, esse comportamento no Japão é quase considerado desrespeitoso. Não há como dar gorjeta a garçons, vendedores de loja, taxistas ou qualquer outro prestador de serviço profissional de qualquer tipo.

A cultura de que o Japão não aceita gorjetas é porque, na maioria dos casos, todos os serviços prestados no Japão incluem impostos / taxas no preço final. O pensamento deles é: “Se as taxas de serviço solicitadas são razoáveis, por que pagar mais?”

De modo geral, dar gorjeta no Japão é um insulto, então evite dar gorjeta!

2. Evite o contato físico e fale alto

No Japão, não é comum estender a mão ou abraçar outras pessoas e deve ser evitado. Um aperto de mão é totalmente inapropriado. Em vez disso, faça uma reverência praticando Ojigi (o ato de se curvar e saudar).

Não aponte o dedo para as pessoas. Não toque ou cutuque durante a conversa. Os japoneses não gostam de contato físico. Evite também falar alto ou gestos exagerados em público. Esses comportamentos são considerados desrespeitosos.

3. Evitar comer andando na rua

É comum no Brasil ver as pessoas andar pelas ruas comendo algum tipo de alimento, principalmente se for lanchinhos em embalagens, como batata frita, por exemplo. Há ainda aqueles que andam pelas ruas tomando sorvete enquanto bisbilhota as vitrines. Porém, esses atos no Japão não é nada bem visto. O

aconselhável e sentar e comer o que você quiser, mas nunca enquanto estiver

andando.

4. Evitar entrar calçado nas residências

Quando entrar em alguma residência, o costume é tirar os sapatos ao entrar no primeiro ambiente, uma espécie de antessala, onde geralmente há um sapateiro típico para depositar os calçados.

Esse costume pode estender-se a estabelecimentos, bem como em algumas repartições e escritórios, portanto, preste sempre atenção no ambiente antes de entrar.

5. Evitar espetar o hashi na comida 

Espetar o hashi (pauzinho duplo usado como talher pelos asiáticos) no arroz/comida deve ser amplamente evitado no Japão. O ato pode ser considerado zombaria à crença local.Isso porque os japoneses rezam e acendem incensos nos oratórios e eles espetam os incensos na vertical.

Há ainda a tradição de oferecer alimentos aos antepassados durante o Festival Obom (equivalente ao dia de finados). Durante o festival, oferendas de alimentos e flores são feitas em templos e altares montado nas residências, chamados de “Butsudan”.

O costume é espetar hashis nos alimentos destinados aos espíritos dos antepassados que retornam aos seus lares no período de festejos do Obom.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.