Como trabalhar no Japão
Como trabalhar no Japão

Como trabalhar no Japão

Posted on

Como trabalhar no Japão

O Japão recentemente abriu as portas para os estrangeiros não descendentes de japoneses, pois sua população tem envelhecido e os postos de trabalho aumentado. Por isso, as oportunidades de emprego no Japão cresceram muito para estrangeiros.

Esse artigo explica como ir trabalhar no Japão, as vantagens de ter um emprego no país, e como economizar com as suas transferências entre Brasil e Japão através da Wise.

Trabalhar no Japão: quem pode?

Antes de 2019, trabalhar no Japão era difícil para quem não fosse descendente de japoneses. Porém, atualmente qualquer pessoa que tenha documentação correta e fale pelo menos o básico de japonês tem chances concretas de conseguir trabalho no Japão. Se souber inglês, melhor ainda.

Um documento essencial para conseguir permissão para trabalhar no Japão é a proposta de trabalho de uma empresa que tenha sede no país.

Documentos necessários

Brasileiro precisa de visto para trabalhar no Japão. E o visto só pode ser solicitado por quem tem uma proposta de trabalho, um Certificado de Elegibilidade emitido no Japão e um certificado de proficiência em japonês (JLPT).

Documentos de viagem, antecedentes criminais e alguns outros vão ser solicitados pelo consulado japonês para avaliação e posterior emissão do visto.

O que é o JLPT?

O Japanese Language Proficiency Test é o exame de proficiência da língua nipônica. Existem cinco níveis, que vão do N5 ao N1, sendo o primeiro de conhecimentos básicos e o último o de nível mais avançado em japonês. Não é preciso seguir uma ordem de testes, podendo se fazer direto o N1.

O nível exigido de japonês para trabalhar no Japão vai depender dos requisitos da vaga de emprego e do visto necessário para ela. Mas normalmente é preciso ter um certificado acima no nível N3. Em alguns casos as empresas podem oferecer pagar cursos de japonês para o funcionário evoluir na língua e poder se comunicar melhor com a equipe de trabalho.

Entenda o Certificado de Elegibilidade

Vistos de trabalho, por serem de longa duração, exigem o Certificado de Elegibilidade ¹, que é um documento que certifica que o estrangeiro é apto para morar no Japão de acordo com uma das qualificações de permanência. Deve ser apresentado no momento do desembarque.

Quem pode solicitar?

Só pode ser solicitado por um procurador do requerente que seja residente no Japão e não tenha nenhuma dívida ou pendência com o governo japonês. Geralmente é um familiar, mas pode ser a empresa que vai contratá-lo. No caso dos estudantes, uma instituição de ensino credenciada pode tratar do trâmite.

Caso o requerente não tenha nenhum procurador no país, tem que tirar um visto de turista e viajar até o Japão para fazer o pedido do Certificado de Elegibilidade ao Departamento de Controle de Imigração.

Como trabalhar no Japão
Como trabalhar no Japão

Quanto tempo demora para sair?

O documento normalmente demora até três meses para sair, mas pode levar um pouco mais que isso, dependendo da região onde é pedido. Assim que o documento for emitido o procurador tem que enviá-lo por correio para que o requerente possa dar entrada no visto japonês.

Se você der entrada no pedido do documento e ele sair quando você estiver no Japão, não é preciso voltar para o Brasil para solicitar o visto.

É importante saber que mesmo com o certificado é possível ter o visto negado. Porém, é algo raro de acontecer.

Visto japonês para trabalhar

Veja quais são os principais vistos de trabalho no Japão.

Profissional altamente qualificado – Highly Skilled Professional (HSP)

Destinado a especialistas, como pesquisadores, cientistas e profissionais da área de gestão de negócios, é uma das maneiras de como trabalhar no Japão não sendo descendente de japonês. Ele permite levar um acompanhante (cônjuge ou filho) que ganha visto de familiar de High Skilled Professional.

Algumas das outras profissões que podem solicitar esse visto são:

Professores

Artistas

Jornalistas

Médicos

Engenheiros

Trabalhador especializado – trained worker (SW)

É o visto de trabalho mais comum, voltado a profissionais de várias áreas que tenham de três a dez anos de experiência (dependendo do setor). Algumas das profissões abrangidas por ele são:

Cozinheiros

Arquitetos

Pilotos de aeronave

Trabalhadores de fábricas

Porém, o jeito mais fácil de conseguir emprego para essas carreiras é viajando para o Japão e buscando as vagas diretamente por lá.

Estudantes

Alunos de graduação, pós-graduação e alguns cursos de língua, após obterem permissão da universidade (ou escola de línguas), podem solicitar licença especial que possibilita ao estudante trabalhar por até 28 horas semanais durante o período de aulas. Somente durante as férias os estudantes internacionais podem trabalhar em horário integral.

Descendente de japonês

Os descendentes até a quarta geração de japoneses (yonsei), que são os bisnetos, podem morar e trabalhar no Japão. Não precisam ser trabalhadores qualificados e podem atuar em qualquer área profissional. Porém, também precisam passar por um processo para obtenção de visto

Cônjuge de japonês

Cônjuges de japoneses têm direito a trabalhar em qualquer área, sem restrições.

Trabalho no Japão: como conseguir

Existem áreas que recebem incentivos do governo para contratar imigrantes. Duas delas, onde há muitos estrangeiros trabalhando, são Tecnologia da Informação (TI) e Design. Mas é preciso adaptar o currículo para preencher requisitos das empresas japonesas. Por isso, facilita procurar emprego no Japão através de agência, embora você possa fazer sua busca de forma autônoma.

Vale a pena contratar uma agência de emprego no Japão?

As agências designam um especialista que encontra ofertas de emprego que o candidato preencha os requisitos. Além disso, ele auxilia na reformulação de currículo e dá outras dicas sobre competências que podem ser trabalhadas para aumentar as chances de conseguir uma vaga. Inclusive, há agências que são focadas em diferentes setores de trabalho.

Agências brasileiras de emprego no Japão

TGK RH

Itiban

Gema Empregos

Agências japonesas de emprego

Active Connector

Work Port

EnWorld

Adept Groupu – especializada em recrutamento para empresas de TI.

Melhores sites de emprego no Japão

Você também tem a opção de buscar encontrar um trabalho no Japão por conta própria. Conheça alguns dos principais sites de busca de emprego no Japão para estrangeiros.

Craigslist Japan

GaijinPot Jobs

Jobs in Japan

Daijob

CareerCross

Career Engine

Wantedly

YoLo Japan

Trabalho no Japão para quem não fala japonês

Se você não souber japonês, não importa quantos diplomas universitários e certificados profissionais tenha (ou até mesmo se é descendente de japonês), vai ser difícil ser contratado. Mas existem caminhos para você conseguir realizar a vontade de conseguir trabalho e ir morar no Japão.

Saiba como aumentar oportunidade de conseguir emprego no Japão:

Estudar em uma escola de japonês no Japão: a imersão vai ajudar você a se desenvolver mais rapidamente no idioma, facilitando a colocação em empregos. Além disso, dá a oportunidade de aprender os costumes japoneses, que são extremamente valorizados e os estrangeiros precisam aprender a respeitá-los para conseguir se inserir na cultura nipônica.

Fazer universidade ou curso profissional no Japão: para quem já tem a partir do nível intermediário de japonês e ainda não tem faculdade, é uma excelente alternativa. Pois terá um diploma de uma instituição de ensino que os empregadores japoneses conhecem e, de quebra, ainda vai ter todo o tempo do curso para se adaptar aos costumes do país. Além disso, muitas das universidades ajudam os alunos a conseguirem emprego.

Existem alguns cursos universitários que são lecionados em inglês (exigem pelo menos o nível B1) e são uma boa opção para quem ainda está começando a aprender o japonês. Pois pode se matricular em um curso para se aprimorar no idioma durante a faculdade.

Trabalho no Japão para brasileiros: quais os mais comuns?

Há muitos brasileiros trabalhando em fábricas e em empreiteiras no Japão, pois além de existir facilidade em encontrar emprego na área, não exigem os níveis mais altos de conhecimentos de japonês. Alguns outros setores também contratam muitos brasileiros:

Tecnologia da informação

Engenharia

Bancos de investimento

Ensino de idiomas

Moda

Quer saber quanto ganha um brasileiro que trabalha no Japão? A distinção salarial é baixa entre japoneses e brasileiros, mas o salário do brasileiro no país asiático depende da área de atuação dele

Trabalhar no Japão vale a pena?

Qualidade de vida:

O Japão é um dos países mais modernos do mundo, sendo pioneiro na utilização de robôs, diversos outros tipos de automação e invenções tecnológicas. A qualidade de vida japonesa é muito elevada, e mesmo quem tem trabalhos mais simples consegue ter uma vida confortável e até mesmo juntar algum dinheiro.

Cultura

Para quem vem de fora, se não estiver acostumado com uma cultura de trabalho onde a produtividade é medida muito importante e rigorosa, a adaptação pode ser muito estressante ou nunca chegar a acontecer. Além disso, o Japão é um país com uma cultura milenar, preservada por muitos anos de tradição. Por isso, se pretende se mudar para o país, ajuda bastante estar receptivo a novas experiências e a uma cultura que certamente terá muitas diferenças com a brasileira.

Salário mínimo no Japão

O salário mínimo no Japão varia entre as províncias do país, sendo Tóquio a província com o salário mínimo mais alto, de ¥1.013 (ienes) por hora. A média nacional é de ¥901 por hora e nas províncias afastadas de grandes centros urbanos são de ¥790 por hora trabalhada.

Vale a pena ter em conta que as províncias com maiores salários também têm os custos de vida mais elevados do país.

Como o país tem uma inflação baixíssima, os reajustes salariais são muito pequenos. O maior reajuste salarial desde 2002 no Japão foi de 3% no ano de 2018.

Média salarial no Japão

O salário anual no Japão é em média de ¥4.420.000, que equivale a mais de R $216.000 3.

Mas existe diferença significativa entre homens e mulheres que exercem os mesmos cargos, assim como recém formados costumam ter médias salariais mais baixas do que aqueles com mais experiência ou de altos cargos.

Salários no Japão por setor

A lista abaixo ordena os setores de acordo com salários os no Japão, sendo o primeiro da lista o com os melhores salários do país (ordem decrescente).

Medicina

Finanças

Fábricas

TI / Comunicações

Grupos empresariais comerciais

Construções / Imóveis

Internet / Publicidade / Mídia

Empresas de serviços especializados

Indústria de serviços

Varejo / Restauração

Jornada de trabalho no Japão

A duração da carga horária de trabalho é limitada pela lei japonesa, sendo proibido ultrapassar 40 horas semanais (44 para alguns comércios e setores com menos de dez funcionários). Existe um limite de horas extras, que devem ser remuneradas (25% de acréscimo) para jornadas de oito horas diárias de trabalho.

Mesmo não sendo permitido por lei o trabalho em excesso, é comum haver casos de pessoas que trabalham em demasia. Não será por acaso que o termo karoshi (morte por excesso de trabalho) surgiu no Japão.

Também é comum a jornada de trabalho japonesa se estender até sábado. Os japoneses têm muito apreço pelo trabalho devido a motivos históricos, principalmente relacionados a reconstrução econômica pós Segunda Guerra Mundial (conhecida como Milagre Econômico)².

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *